Filipe participa da Revolta da Lâmpada

No dia 14 de novembro de 2010, três rapazes foram vítimas de um ataque homofóbico com lâmpadas fluorescentes realizado por quatro menores e um rapaz de 19 anos.

Para subverter o símbolo da agressão, foi criado o movimento a Revolta da Lâmpada. A iniciativa defende a liberdade individual do corpo e bandeiras de grupos LGBT, da mulher e de minorias criminalizadas. (Site Catraca Livre)


No evento de ontem, Filipe Catto esteve entre os convidados pelo movimento e fez sua participação no carro de som alugado pela “Revolta da Lâmpada”, estacionado em frente ao no. 777 da Av. Paulista.

Um milhão de novas palavras: Edy Star!

No inicio dos anos 70 eu era pré adolescente, mas sempre ligada em música, em especial a nossa. Me lembro de ter visto o LP nas lojas e fiquei curiosa com o brilho das roupas e o visual que logo comparei com o de Marc Bolan, líder do T Rex. Mal sabia eu que era o 1o disco de um verdadeiro ícone da nossa arte: Edy Star,  o 1o cantor no Brasil a se declarar publicamente homossexual. Pioneiro em tudo, soube depois que ele fazia shows em casas noturnas de Copacabana, mas eu não tinha idade para entrar. Também apaixonada por Sérgio Sampaio eu vi que ele participou do antológico “Sessão das 10”, um LP da “Sociedade da Grã-Ordem Kavernista” que além dele tinha também Raul Seixas, Sérgio Sampaio e Miriam Batucada, uma cantora, compositora e percussionista que já tinha participado dos famosos festivais de música dos anos 70.

O que eu não podia imaginar era que seria preciso mais de 40 anos para que eu conseguisse assistir a um show dessa figura incrível e talentosa. Foi na última virada cultural de SP, que eu tive o prazer de vê-lo em ação, de pertinho, mas o melhor ainda estava por vir e aconteceu há poucos dias.

O lançamento oficial do segundo disco de Edy, sim, o segundo! aconteceu na Casa Natura Musical e o Cabaret Star foi um espetáculo digno do nome. Um show divertido, com stand up comedy, com mágico (trans), com vários convidados como Ciro Barcelos & Banda Xabá, Leiloka (das Frenéticas), Odair José, Maria Alcina e Zeca Baleiro, que é o produtor e idealizador do CD Cabaret Star, que conta também com a participação de nosso Filipe Catto na faixa de autoria de Odair: Perdi o medo.

Pelos vídeos que postei dá para se ter uma ideia da maravilha que foi esse Cabaret e recomendo a todos que não percam a oportunidade de ver esse verdadeiro show-man brasileiro quando ele fizer outra apresentação. Vale muito a pena conhecer a energia de alguém tão incrível que, do alto dos seus quase 80 anos, faz o que quer no palco, onde ele se sente à vontade como se estivesse na sala de sua casa. Os verdadeiros artistas são assim mesmo. O palco é o seu lugar e nós, o público privilegiado por poder desfrutar de tanto talento.  Mais do que o rock and roll, eu diria que Edy Star é fodaço!

(Klaudia Alvarez)

Não quero mais…pouco!

Uma das principais características de Filipe Catto é surpreender. Sempre. Jamais ser previsível. Nós, fãs, já sabemos disso e amamos!  Surpresas fazem parte de nosso cardápio diário e como elas são bem-vindas! Quem poderia esperar uma canção como essa que ele acaba de lançar? Seu novo single Eu não quero mais é o hino que queremos gritar a plenos pulmões!  Não queremos mais…pouco! Filipe sempre nos representando e usando sua voz única para bradar aos quatro ventos os nossos anseios.

Se o single está desse jeito, ficamos aqui só esperando o que vem por aí. Dia 24/11 chegue logo. CATTO nos aguarda. Nada mais perfeito e representativo que essas cinco letras!

Obrigada, Filipe!

EU  NÃO QUERO MAIS (Juliano Holanda/Igor Carvalho)

O chão frio da minha sala costuma ser

Mais macio que as tuas palavras

Costuma ser feito sombra no inverno

Frio como o avesso do inferno

Nesses dias em que o sol não quer nascer

E as mentiras descaradas ousas manter

Fera presa e mal alimentada ousas manter

Essa máscara fingida que tu usas como um rosto

Vai se desmanchando dia a dia pouco a pouco

E eu não quero mais pouco

 Eu não quero mais pouco

Eu quero mais é que você se foda!