Fragmentos

“O universo do SAGA é o inconfessável, eu acho. É aquele lugar até meio desconfortável, que vem de sentimentos que eu não sei lidar direito. É um universo meu, sim, mas todo mundo tem isso. Então eu tentei ilustrar isso no conceito de cabaret, desse lugar viciado, carnívoro, luxurioso e falar da dor de uma forma […]