Caixinha de som: Ao Coral

📷 Dilson Ferreira

“A música é o terreno fértil onde eu posso florescer” (Coral)

O artista sobre o qual vamos falar hoje é bem jovem, acabou de completar 30 anos, mas desde os 15 que Coral trabalha com música, se apresentando em bares, eventos, principalmente nas cidades da Bahia, seu estado natal. Morando há algum tempo em Belo Horizonte, Coral, que se define como uma pessoa não-binária – daí seu nome artístico (e social também!) ser a ou o Coral – está se preparando para gravar seu primeiro disco.

Com canções autorais de uma beleza absurda, Coral também impressiona pelo domínio do violão, pela presença de palco forte e personalíssima e pelo jeito com que se apropria das canções de outros compositores, quase que criando uma nova canção em cima de uma já bem conhecida. Uma característica dos grandes intérpretes: tornar “sua” alguma música já gravada.

Imagem retirada das stories do artista

Alguns singles já estão disponíveis nas plataformas digitais, e Coral lança hoje mais uma canção inédita e autoral: Jequié, nome da cidade onde nasceu, no sertão baiano. Com produção e participação de músicos de Belo Horizonte.

Como todo artista independente, Coral está na batalha para conseguir gravar seu primeiro disco e no instagram dele é possível acessar o link para contribuir na vakinha virtual. Recomendo demais que todos conheçam este artista extremamente talentoso e que me impressionou desde o primeiro momento em que o ouvi. Além do talento, é uma pessoa super gentil, sensível (é canceriano!) e que trata os fãs – que já o seguem em suas lives do instagram – com todo carinho e respeito. É alguém com todas as características e qualidades para ter muito sucesso e conquistar uma carreira sólida e longa na música brasileira. Acredito que seja só uma questão de tempo, porque talento, garra e sensibilidade Coral tem de sobra. Só falta acabar essa pandemia para que ele possa se apresentar em vários palcos e se apropriar do lugar que já lhe pertence. Que venha logo esse tempo e que Coral brilhe por todas as cidades em que ainda vai passar e encantar. Enquanto não chega a hora de ver esse artista incrível, de pertinho, vamos investir na carreira dele, através da vakinha virtual, se inscrevendo no canal do You Tube, assistindo os vídeos e seguindo no Instagram e nas plataformas. Como admiradores, é nosso papel divulgar os artistas que achamos interessantes. O boca a boca funciona sim!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s