O Nascimento de Vênus – Parte 2

Texto Fran 4
Foto de Emilly Luciana Barbosa

(Texto de Francielle Flores)

A espera pelo novo disco do Filipe Catto foi de muita ansiedade e muitas expectativas… Todas as expectativas foram superadas na primeira audição do disco, que foi um dos momentos mais especiais da minha vida. Até as músicas já conhecidas me arrebataram novamente. A interpretação de Filipe para cada música, o arranjo do disco… Tudo lindo e arrebatador. Daí a ansiedade ficou ainda mais latente para ver Filipe no palco, interpretando aquele lindo repertório. Eu sabia que seria algo grande, pois a evolução que vi em Filipe nos quatro anos em que acompanho a carreira dele é algo surpreendente e maravilhoso.

Enfim chegou o grande dia… 02/02, dia de Iemanjá, noite de lua cheia… A nova turnê que foi intitulada “O Nascimento de Vênus” não poderia estrear numa data mais especial.
Já sentada na primeira fila, em frente ao palco, minhas mãos geladas soavam, eu tremia e meu coração batia na garganta (Emy até perguntou se eu estava bem). Quando abriu-se a cortina e eu vi Filipe tão pleno no palco cantando “Como Um Raio”, canção com versos fortes e profundamente tocantes – Minha canção vai acender / O teu silêncio como um raio … Meu coração / Meu coração vai acender / O céu imenso como um raio – um momento inexplicavelmente regozijante. A cada música, a cada momento do espetáculo eu ficava ainda mais encantada e apaixonada pelo espetáculo, por Filipe, pelo repertório, pela banda… por tudo que eu estava vivenciando ali. Mas quando começaram os primeiros acordes de “Torrente”… meu coração bateu ainda mais forte… Foi um momento muito forte pra mim, uma emoção indescritível me invadiu ao ver Filipe interpretando essa música arrebatadora, que tocou fundo na minha alma e no meu coração desde a primeira audição… O mantra que Filipe entoa no final da música transcende e eleva a alma da gente ao nível máximo de gratidão.

Texta Fran 2
Foto de Emilly Luciana Barbosa

Foram três dias de grandes emoções, sensações e puro êxtase, e toda vez que me transporto para aquelas noites em que “O Nascimento de Vênus” ecoou no teatro do Sesc Vila Mariana, revivo momentos lindos e muito especiais que vou guardar pra sempre no meu coração. Esse show é a evolução de Filipe Catto concretizada no mais lindo espetáculo.

Que todos os fãs de Filipe possam presenciar “O Nascimento de Vênus” e vivenciar toda a sua grandeza, e muitas pessoas sejam arrebatadas por CATTO.


Texto Fran 1
Foto de Emilly Luciana Barbosa

Força divina

(Texto de Christina Eloi)

 A fresta traz uma luz aconchegante. É a lua que tenta invadir o quarto. Parecia ter vida própria, mesmo que eu tentasse fechar a cortina.

Desde sempre, aquela janela teimosa se mantinha fechada.

O quarto parecia mais seguro, apesar da dor. Pensamentos vinham como chuva torrencial, não havia controle.

O silêncio era um amigo constante.

Só que hoje, havia algo diferente: um som que vinha de longe começava a ocupar os espaços aos poucos.

Que força!

Tinha um frescor, uma sensualidade. Como se algo novo estivesse nascendo. Só que esse novo, também trazia algo já adquirido: um passado, uma história, experiências, amadurecimento.

Fazendo uma analogia: tal qual o nascimento de Vênus envolto em magia e encantamento;

 É interessante perceber como histórias mitológicas atravessam séculos e quando lidas ou relidas são modernas, atuais.

Há uma força divina que se move e, ao se mover, me tira daquilo que é conhecido e está acomodado.

Uma aventura de sentidos que faz do viver um risco. Uma linha tênue entre o êxtase e o morrer.
E a força da natureza que invade cada célula do meu corpo, faz parar a dor e a desilusão.

Como se também eu estivesse renascendo e descobrindo que o amor e o amar não são conduzidos pelo tempo. Ele é apenas um elemento que põe as coisas no lugar.
As palavras vão perdendo o sentido. Fecho os olhos e me entrego ao simples prazer de ouvir e me deixar sentir.


Texto Fran 3
Foto de Emilly Luciana Barbosa

(Texto de Cristiana Oliveira)

Parece que o coração já anunciava o quão especial seria aquela noite. Ansiedade no auge, como nos primeiros shows. Quando a música incidental começou a tocar e aos poucos a cortina foi se abrindo para nos mostrar “O Nascimento de Vênus”, não consegui controlar a emoção.

Quanto requinte no cenário, no jogo de luzes, no figurino. Tudo perfeito.
Aquele Filipe Catto no palco, já não era o mesmo de Entre Cabelos, Olhos e Furacões e nem de Tomada. Uma junção dos dois deu luz a um novo artista. E como dizer que este Catto está ainda mais maduro, mais afinado, mais dono do palco, mais tudo? Como dizer isso sem correr o risco de uma má interpretação? Pois ele já era tudo isso. É como se agora ele tivesse realmente essa certeza. Um artista que se apropriou totalmente dos seus dons, uma Vênus que nasceu ciente de sua perfeição, uma sereia que pode nos levar onde quiser com sua voz única.

A certa altura do show, Filipe pede para o público participar, dançar, cantar, enfim. E o público responde, participa. Mas lançando um olhar geral pelo teatro, via o encantamento preencher tudo. Todos como que petrificados, observando aquele “nascimento”. Sem forças para levantar, sem querer perder um gesto, uma palavra.

Texto Fran 5
Foto de Emilly Luciana Barbosa

Somos seus súditos Catto, totalmente entregues para que faça de nós o que desejar. Vertidos e tomados em pelo à tua poesia.

Um mar de emoções veio à tona. Minhas mãos suaram, me arrepiei, sorri, chorei. Uma experiência extremamente sensorial, transcendental.

Alegria sem medida acompanhar esse crescimento, essa evolução de um artista que me arrebatou no momento em que pronunciou uma nota, de um ser humano mais que digno de toda minha admiração. Que sabe ser grato as suas raízes, aos seus pais, aos seus fãs.

Saí do show num misto de euforia e leveza. Com a certeza de que tenho que provar dessa experiência o máximo de vezes possível, porque esse contato provoca em mim um desejo intenso em conseguir o melhor de mim também.

Que Iemanjá te envolta em seu colo de mãe Catto, te cubra de bênçãos e perfume o lindo caminho que você tem a trilhar.

1 Comment

  1. Com certeza o que vocês sentiram quem assistiu a maravilhosa interpretação dé Filipe Catto, no show O Nascimento de Venus saiu transformado. A luz que ele reflete atinge a todos nós. Os textos da Francielle, Cristina Eloi e Cristiana Oliveira estão perfeitos. Refletem o que sentimos.Que muitos fãs tenham a oportunidade de assistir a esse show e se inibriar com essa luz e essa força que é Filipe Catto

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s