O mundo que queremos

Por: Mariana Porto

Não paga não, adota!

“Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca”.

Não consegui pensar em frase melhor para começar esse texto do que essa, da Clarice.

Venho aqui falar sobre amor.

Amor? Sim, amor. O amor que, pra mim, é o mais bonito e sincero que existe. O amor que transborda, o amor que não cobra, o amor que se dá, o amor que entende e acolhe completamente sem precisar dizer sequer uma palavra. O tipo de amor que transforma tudo quando você chega em casa depois de um dia fodido, porque vai te receber na porta abanando o rabo. Sabe? Pois é, esse amor.

Eu tenho a sorte de ter um amor desses, que deita na porta do meu quarto e pacientemente me espera acordar quando eu durmo mais do que deveria. Há 13 anos ele faz isso. Há 13 anos ele me acompanha no café da manhã e assiste o jornal comigo, sem mau humor matinal.

Se você já teve um amor canino ou felino, você sabe do que eu tô falando.

E hoje eu quero falar sobre adotar um amor.

Não sei se você sabe – já deveria saber – mas o amor não tem gênero, não tem sexo, não tem cor e também não tem raça. O amor não se compra! Ou não se deveria comprar…

É claro que um bulldog francês comprado por três mil e oitocentos reais pela internet vai te amar e abanar o rabo quando você chegar e o gatinho persa que você viu na vitrine do shopping e parcelou em dez vezes no crédito vai deitar na sua barriga e te aquecer no inverno enquanto você assiste Game of Thrones, mas… É justo a gente incentivar esse mercado de amor? É justo que cachorrinhos e gatinhos de raça sejam criados apenas para a reprodução? Apenas para produzirem mais mercadorias?

Sabia que existem mais de 400 animais, entre cães e gatos só no Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo, esperando há anos por uma família? E além do CCZ, existem centenas de ONGs pelo Brasil todo, lutando para dar a melhor qualidade de vida possível para os amores abandonados pelas ruas das cidades? Dá um Google aí e presta atenção na quantidade de campanha que existe na internet para estimular a adoção.

Não paga não, adota! Raça não quer dizer nada… E com certeza é muito mais legal ser escolhido por um cachorrinho ou um gatinho do que comprar o que você achar mais fofo na vitrine do shopping, né?

Ah, e se você queria muito adotar um bichinho mas não tem espaço ou tempo para se dedicar a ele, não tem problema, você pode apadrinhar um animal que vive em uma ONG enquanto ele espera por alguém!

Abaixo, alguns links úteis pra você clicar e se sensibilizar com a causa:

http://www.adoteumfocinho.com.br/v1/#.WndHlLrwbIU

http://www.caosemdono.com.br/

https://www.procure1amigo.com.br/

https://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/emocao-inspira-fotografos-que-tem-como-modelos-animais-do-canil-de-juiz-de-fora.ghtml

E aqui um vídeo que você já deve ter visto por aí, mas vale a pena ver de novo (rs):

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s