As várias faces de Tomada

Fotos de Gal Oppido Arte de Rafael Yasumura
Fotos de Gal Oppido e Sergio Castro
Arte de Rafael Yasumura

Muito já se falou de Tomada, e muita ainda se falará.  Achamos que um jeito diferente de homenagear nosso artista predileto seria, nesse 26 de setembro, seu aniversário, mostrar um pouco o que alguns fãs acharam do novo trabalho. Esperamos que Filipe se divirta lendo essas resenhas tão especiais, todas tomadas de amor e admiração pelo talento desse artista incrível.  FELIZ ANIVERSÁRIO, FILIPE CATTO!

Arquitectura pop mais que amorosa

 O fim do Verão em Lisboa traz uma aragem mais que fresca que me cobre de amor. Auriflama um dos temas de Tomada, o novo disco de Filipe Catto, invade na madrugada de 15 de Setembro os meus headphones uma vez mais. Morte é a esquina onde o amor termina canta o músico e mais que cantor brasileiro e relança em mim todo um debate existencial sobre a alquimia dos sons da fonte criativa deste país imenso donde saem algumas das obras musicais mais ricas e imaginativas do planeta. Em apenas 2:13 minutos Auriflama nos faz deslizar por um jardim universo de beleza pura onde se fundem a interpretação superior de Filipe Catto, com a delicadeza esotérica dos arranjos, e em pouco tempo encontramos o trilho para um disco frondoso de brilhantismo . No final do trilho damos por nós num oásis com todo o refinamento que idealizamos no Brasil já do presente, num disco que é o som do futuro da música pop brasileira.

E Tomada é puro vício, uma arquitectura tipo Oscar Niemeyer clarividente e original em sons límpidos como um riacho de juventude eloquentemente equilibrado por arranjos induzidos por esse inventor de alquimias que é Kassin. E o som sintético a que a escola de Kassin nos habituou, coroa e pontua numa produção irrepreensível. Pop afinal é mais que a Pop, e Filipe Catto tem perfeita consciência disso. As interpretações de Catto pelo disco fora são como um tapete mágico que voa para além do significado pré concebido para estruturar o disco. E és fascinação meu caro Catto. Depois de amanhã estaremos todos no teu concerto, porque a delicadeza e o génio vem dessa aparente simplicidade sonora e dessa já abraçámos as ideias novas. Uma sala mergulhada pela luz e o mais que tropical, nos entra pelo nosso coração mais do que pelos ouvidos. Canção e Silêncio traduz esse estado etéreo que é marca de água desse conjunto de canções e que faz deste album um objecto não identificado, sem rótulos. Do fundo do coração é cinematográfico, é um filme misterioso e o marinheiro navega com a lua e nós meras sombras carentes de mais e de mais e de mais. E chegamos ao encontro astral entre o trovador do Brasil seu grande autor e esteta Caetano Veloso e o divo Filipe Catto. Amor mais que discreto é uma das mais belas pérolas da recente safra da constelação caetaneana. Caída das estrelas pela época de Cê ao vivo, essa música aborda o amor pleno, o amor criado na dificuldade da transgressão, o amor verdadeiro, narciso e conquistado ao mundo. O resultado é uma interpretação sublime e emotiva .Fascinação pura mais uma vez. Refinado o novo som de Catto nos torna mais felizes e muda o mundo da música e o cosmos de cada um de nós. Cru, em estado síntese e verdadeiro, Catto permanece como o líder da nova geração da Música Universal Brasileira.

Texto: Miguel Graça

___________________________________________________________________

O amor se apresenta de várias maneiras, há o amor pelos filhos, pelos amigos, pelos companheiros/companheiras, pelos pais, irmãos e há o amor que acontece pela admiração, creio que esse é o amor que temos pelos artistas que gostamos, não gosto muito da palavra ídolo porque parece  que se refere a algo sagrado, e não é o caso, os nossos amados artistas têm defeitos e qualidades como todo ser humano, se bem que é difícil quando amamos vermos os defeitos… Bem, tudo isso é pra começar a falar um pouquinho sobre o novo trabalho do meu querido Filipe Catto, o CD TOMADA. Eu estava bem ansiosa por esse novo trabalho, vínhamos percebendo algumas mudanças nos shows, no repertório, eu e algumas amigas tínhamos receio que viessem muitas novidades e que de alguma maneira roubassem um pouco daquela alma antiga, o encanto que sempre reconhecemos nele… Bem, posso falar por mim, eu não ouvi nenhuma musica que eu não gostasse, algumas eu me apaixonei desde a primeira audição, outras aos poucos…

“Dias e Noites” é uma que fui gostando aos poucos, apesar da letra linda e do arranjo maravilhoso que é comum ao CD todo;

“Partiu” tem uma letra perfeita, parece que foi escrita por ou para o Filipe, “Uma vida inteira pra plantar e colher luz”, tem alguma coisa mais a cara dele?;

“Depois de Amanhã” também amo a letra e gostei muito do arranjo;

“Auriflama” é linda do começo ao fim…

 “ Onde o amor termina amor

 Começa a morte

 Morte é a esquina  amor

Onde o amor termina”;

 “Canção e Silêncio”, letra e músicas lindas também…

 “Procurei nos lábios, procurei nos olhos a tua presença e só achei saudade

Eu não queria ser mais um entre um milhão de loucos

Pouco a pouco vou perdendo os parafusos e correndo contra a multidão

Não vou lhe implorar piedade, não vou te escrever poemas

Não, eu já tranquei as portas e você nem se importa

Quer saber? Eu já chorei até demais por você

Quer saber? Eu já chorei até demais por você

 ”Do Fundo do Coração”, amor antigo, Filipe já cantava nos shows e tinha toda uma torcida pra que entrasse no CD, minha inclusive, quando ele canta “Eu ouço o som de uma nota só!!!” o coração chega a doer;

“Amor Mais Que Discreto” foi paixão à primeira audição, adorei, muito, muito linda, dessas que escutamos, voltamos, escutamos de novo…

 “Talvez haja entre nós o mais total interdito

Mas você é bonito o bastante

Complexo o bastante

Bom o bastante

Pra tornar-se ao menos por um instante

O amante do amante

Que antes de te conhecer

Eu não cheguei a ser

 Eu sou um velho

Mas somos dois meninos

Nossos destinos são mutuamente interessantes”

 Existe coisa mais linda?

“Um Milhão de Novas Palavras”, “íris e Arco”, “E Pra Você Me Ouvir”são igualmente lindas com arranjos maravilhosos.

Aí chega “Adorador”, encerrando o CD…

 “Feito uma droga lenta

Uma ressaca imensa

Tua boca me arrebenta amor

Me leva  por um filme

Despe no vazio

Depois me deixa e deixa a dor

Por hora ou por um dia

Tua ausência fria

Me deixa assim sem cobertor

Eu sigo ao leu a esmo

Nem me reconheço

De nós restou só um torpor

A dor, adorador

Parece que és  adorador

De ver  me assim amor

sumiste de repente

eu me quedei dormente

Entre a sala e o corredor”

 Outra que amei à primeira audição, a letra é linda e aquele trombone é de doer o coração, daquelas que ficam no repeat…

Enfim, amei o CD, acho que vocês perceberam as preferidas, o nosso Filipe de alma antiga está lá, assim como o jovem cantor antenado a todas as novidades e oportunidades do seu tempo…

Vida longa ao TOMADA!!! Sucesso, sucesso, sucesso!!!

 Texto: Eloá Xavier

___________________________________________________________________

Tomada de emoção, espero ansiosa pelo lançamento do novo CD do Catto.

Tomada de ansiedade, aguardo a madrugada chegar para ouvir as músicas pela internet.

Tomada de alegria, escuto cada uma das faixas, várias vezes. E, assim, a madrugada passa rapidamente e o dia vai amanhecendo sem que eu perceba.

Repertório maduro, surpreendente que reflete seu crescimento, mas ao mesmo tempo, sua essência continua lá, intacta. Presente em cada nota, cada palavra, cada acorde, cada melodia.

Preciso sem ser econômico. Traz a interpretação na medida, porém com uma intensidade e com uma entrega, tão características de suas canções.

Tomada pela emoção e carregada de lágrimas, o coração quase explode ao entrar nesse mundo tão particular de quem faz com maestria seu ofício e nos atinge no mais sincero e verdadeiro sentimento de amor e esperança.

Tomada de alegria, percebo seu amadurecimento. Artista único que vai se consolidando no cenário da nossa música.

Tomada de orgulho, constato que fazer parte dessa quadrilha que o ama e o acompanha pelo Brasil e por outras terras além mar, é apenas um estímulo para participar dessa corrente do bem, embalada pelas canções desse menino tão talentoso.

Tomada de amor, só posso vibrar e querer mais e mais.

Que sejamos todos tomados por essa energia positiva que cativa e nos faz querer um mundo melhor.

Texto: Christina Elói

___________________________________________________________________

Estava muito curiosa para ouvir “Tomada”.  Já sabia que seria um trabalho diferente e que, apesar de ser impossível negar referências, algo novo estava surgindo. Confesso que quando escutei as canções pela primeira vez, excluindo a evidente identidade vocal de Filipe Catto, demorei a encontrar o artista que estava acostumada a ouvir, pelo menos da maneira que eu supunha conhecer. Precisei ouvir uma, duas, três, várias vezes para entender o que estava acontecendo e aonde “Tomada” iria me levar.Como sempre, me levou para onde eu gosto de estar, para o impalpável, para o abstrato, para o distante, para onde só a arte consegue me levar.“Tomada” é um trabalho corajoso por fugir completamente da linha de conforto. É atrevido na medida em que desafia o público, já cativo, a se reencontrar e se reposicionar diante do novo que Filipe Catto nos apresenta.

O novo álbum tem o que já é marca registrada no trabalho de Filipe Catto, a viscerabilidade, a entrega, a franqueza, a honestidade e a inegável qualidade técnica, só que “Tomada” chega solar, mais positivo, quente, contundente e cheio de atitude. Parabéns a toda a equipe envolvida na criação e produção! Sucesso “Tomada”!

Texto: Claudia Takano

__________________________________________________________________

Dizem, no meio musical, que o segundo disco de estúdio é a prova de fogo do artista. Esperado com ansiedade pelos críticos, o segundo trabalho parece que define e marca uma trajetória. Isso nunca foi tão verdadeiro quanto no caso de Tomada. Filipe Catto, em seu novo disco, nos apresenta o seu  mais profundo e verdadeiro retrato.  Como ele mesmo disse, o disco é em primeira pessoa. O mais importante do trabalho é que ele não tem rótulos, não pode ser classificado em nenhum tipo de gênero.  É Filipe em sua essência verdadeira. As canções nos revelam um artista consciente das alegrias e também das mazelas de seu tempo.  Da necessidade de se lutar pelo que se acredita e também de  vibrar por essas conquistas.  Tomada é realmente um marco na carreira de Filipe.  Com esse trabalho, ele conquista definitivamente seu território e o lugar de destaque que merece no cenário da música brasileira de hoje.  Prova que pode interpretar o que quiser, do jeito que quiser e sempre soar brilhante. É instigante imaginar o que vem por aí.  Não dá pra sequer sonhar o que Filipe ainda fará em sua carreira. Uma certeza eu tenho: tal qual um Midas contemporâneo, qualquer coisa que ele toca, vira ouro.  Qualquer canção que ele interprete, vira sua propriedade.  E nós, fãs, só temos que aplaudir.  Completamente tomados de amor e alegria por estarmos vivenciando esse crescimento e afirmação de uma carreira sólida, de um artista totalmente engajado com a vida e com o seu tempo. É importante prestar atenção na mensagem que Filipe Catto passa em “ Partiu” de Marina Lima. Para mim, a canção de Tomada que mais o define como pessoa e como artista.

Para que possamos olhar nos olhos dos novos entes do amor que estão chegando é preciso uma nova atitude. Sem nenhuma culpa pra ingerir e livres para viver o novo mundo.  Eu topo, e você? Partiu, Brasil? Bora colar com ele?

Texto: Klaudia Alvarez

__________________________________________________________________

A primeira vez que vi e ouvi Filipe Catto , foi no programa do Jô Soares. Amei, como não podia deixar de ser. O primeiro show ao vivo  foi no Tom Jazz, em 2012, e levei comigo uma verdadeira caravana com 25 convidados , dentro os quais , filhos netos e amigos. Filipe me conquistou de pronto e para sempre. Dono de uma voz única  e que é uma benção para nossos ouvidos, corações e nossas almas.  Conforme fui acompanhando seus shows , ia aumentando minha admiração por ele. Mas , não era só encantamento pela voz , não. Meus contatos com Filipe  me fizeram ver o quanto ele é lindo, por fora e mais ainda por dentro.  Carismático, educado, carinhoso ! Enfim, adorável. Além de tudo , uma pessoa que não pensa só em si mesmo.  Preocupa-se, sinceramente , em dar de si, para ajudar alguém. Essa ajuda vem , por incrível que pareça , através de sua arte, a música. Filipe ama o palco, onde ele se transforma com sua infinita sensibilidade , interpretando as canções de um modo visceral, sua voz vindo lá do fundo do seu ser. E o que é digno de nota, é que Filipe interpreta as músicas  com a mesma imensa paixão , não importando serem suas ou de outro compositor. Ele ama o que canta. Isso faz com que seu repertório seja imensamente variado e de qualidade indiscutível. Procuro não perder um só show deste artista tão querido e completo e que tanto prazer , emoções e alegrias nos dá. Sou uma pessoa bem idosa e o Filipe faz com que eu tenha momentos de grande prazer e emoção e faz com que eu continue a sonhar. Sonhar com todas forçar do meu ser , com o mais que merecido e crescente sucesso do querido Filipe.  Aguardo agora, o seu novo e maravilhoso CD TOMADA , com todo meu ser vibrando de amor , carinho e admiração. Neste CD, Filipe desnuda parte de sua alma , nos envolvendo com toda sua LUZ. Uma coisa que eu preciso dizer, é que me orgulho infinitamente do fato de Filipe me considerar, além de fã , sua amiga. Que todas as LUZES DIVINAS iluminem sempre sua caminhada e que o sentimento de GRATIDÃO esteja sempre no seu coração.

Texto: Zilia Pacheco

__________________________________________________________________

Ouvir Tomada pela primeira vez não foi o choque que eu imaginei que seria: foi muito melhor. Tomada não chocou, e conquistou totalmente de forma muito mais gostosa! Cada canção parece ter envolvido uma parte diferente de mim, e todas elas juntas foram capazes de me envolver por completo e me fizeram flutuar. Tomada não foi uma pancada, foi totalmente ao contrário, foi como um abraço apertado – e eu abracei de volta.
Abracei cada palavra, porque todas elas falam por mim também. Abracei cada acorde, porque todos eles pareciam estar em sintonia comigo também. Abracei todos os tons e dancei todos os ritmos, mesmo tendo ficado imóvel diante de alguns deles, eu estava dançando. Tomada me ganhou de primeira e continua me ganhando mais e mais a cada vez que ouço.
Filipe Catto simplesmente sabe o que faz. Eu que não sei o que faço com esse disco que não para de tocar dentro mim.

Texto: Mariana Porto

__________________________________________________________________

Depois de uma saga me vi entre cabelos olhos e furacões e então tomada me toma em um folego majestoso como um mergulho no mar. Esse álbum nos convida a fazer uma viagem para o interior de nós mesmo, e nessa sinergia os melhores sentimentos são despertados, traz o pulsar, o movimento, a vida, uma espécie de autoanálise que equilibra os sentidos, produzindo luz onde se escuta a interpretação de Filipe Catto, que com sua musicalidade poética toca a alma. São sentimentos tão genuínos, que a identificação é imediata são emoções universais que expressam a alma, pura arte, uma liberdade e necessidade simples de ser e sentir.

Texto: Manu Cordeiro

_________________________________________________________________

Na estrada, já a caminho de São Paulo daquele dia 07 de setembro, a ansiedade começou a tomar conta do meu ser, pois no dia seguinte seria lançado o tão aguardado novo disco do Filipe Catto. Pessoas normais, depois de uma viagem de mais de 10 horas, iriam chegar ao seu destino e iriam descansar, alimentar-se e coisas do tipo. Como não somos pessoas normais (Graças aos Deuses!), saímos ligando notebooks e celulares, pois já  passava da meia-noite e o dia mais aguardado do ano, pelo menos pra mim, já havia começado. A expectativa logo deu lugar à depressão (sim eu sou dramática), não havia nem sinal de Filipe, nem do disco. Desanimados, eu e meus amigos, entramos num consenso que o lançamento deveria ocorrer no decorrer da tarde, mas eis que 1h e pouco da madrugada, começou a chuva de mensagens em nossas redes sociais: “Corre lançou…”, “Meu Deus… Me socorreeeeee… está incrível…” entre outras.  Enfim nasceu Tomada!

Felicidade e gratidão são duas palavras que traduzem o meu sentimento, após a primeira audição. Felicidade por ouvi-lo na companhia de pessoas mais que especiais (Fran e Erick) e também na companhia de tantos outros que não estavam presentes no mesmo espaço físico, mas ainda sim conectados pela mesma vibe pelas redes sociais. A gratidão fica pelo conjunto de toda a obra. Tomada é daqueles discos inclassificáveis, pois não é pop, não é rock, ele é o que o seu ouvinte quiser, ele é do mundo e o mundo é dele.

 A voz de Filipe nos leva para caminhos sonoros fascinantes, onde me perco em suas nuances e quando dou por mim estou em outra galáxia, de onde não quero mais voltar.

Apesar de pertencer à “Geração SESC”, me considero uma pessoa saudosista e tenho um laço muito forte com o disco ” Entre Cabelos Olhos e Furacões ” porque foi ele quem me abriu os ouvidos para o “Fantástico mundo de Filipe Catto”, porém Tomada é tão forte que acredito tenha superado os discos anteriores, e já é o meu preferido, pois ele foge do óbvio.

É um disco intenso, que nos fascina logo nos primeiros acordes de “Dias e Noites”, e nos leva a não querer parar mais até “Adorador”, que de tão visceral te arrepia até a alma. Dentre tantas letras lindas, o difícil é eleger uma favorita, é quase a escolha de Sofia, hoje caso tivesse que escolher alguma, elegeria “Pra Você Me Ouvir” que logo de cara foi a canção que mais mexeu com os meus sentimentos e “Auriflama” que me faz querer sair dançando pela rua (em alguns momentos confesso que fiz isso). Tomada com certeza vai atingir os mais diversos públicos, desde os fãs mais fiéis até os que ainda não foram vertidos e tomados pela sua poesia e sem duvida estará no hall dos melhores discos do ano e quem sabe de uma geração também.

E que a vida siga sempre assim, com Filipe plantando canções regadas a amor, entusiasmo e alma e nós seus ouvintes colhendo luz e gratidão!

 VivaAMusica #VivaAoTomada #VivaAoFilipeCatto

Texto: Emilly Luciana Barbosa

_________________________________________________________________

Dias e Noites não são mais iguais depois que Partiu Tomada.

Amanhã, Depois de Amanhã e por prazo indeterminado sua voz será a  Auriflama dos sentimentos de hoje.

Canção e Silêncio estão sob a sua regência e Do fundo do Coração eu até gostaria de experimentar por sua arte um Amor Mais que Discreto, mas isso é impossível, uma vez que você escolheu ferir nossas Iris, ouvidos e almas sendo Arco a espalhar beleza  por este mundo louco.

Um milhão de Novas Palavras ainda são poucas Pra você me Ouvir e entender o tamanho do amor Adorador que causa por onde se faz ouvir.

Texto: Katia Provette

___________________________________________________________________

Impossível falar de TOMADA sem evocar um turbilhão de sentimentos. Excitação, ansiedade, torcida, e finalmente a alegria imensa do  lançamento.

O single Dias e Noites me cativou logo de cara, me pegando  desprevenida por ser totalmente diferente do que Catto trazia até então. Música extremamente viciante, atmosfera noturna, ares de uma grande metrópole. Que prazer foi sentar numa mesa com amigos e deixar com que o whisky nos ajudasse a decifrá-la. E quantas interpretações vieram… Para mim, Dias e Noites é a junção de todo o CD, antecipa o que temos pela frente. Foi a escolha perfeita para abrir o álbum.

A principio houve um estranhamento, pois havia uma leveza que não era tão habitual. Porém, conforme fui me aprofundando nas letras e melodias, o encantamento tomou lugar. Uma mistura de paixão, amor romântico, vivências urbanas, amor universal, esperança, elos, protesto, intensidade de sentimentos. Tudo novo, mas ainda Filipe Catto.

Senti um artista muito seguro de si, querendo trilhar por outros caminhos, querendo comunicar coisas até então contidas. Parecia haver um imediatismo no conjunto todo, como se essa fosse a hora de se desnudar, de dizer a quê veio..

E embora seja um trabalho com apenas quatro canções autorais, Filipe conseguiu se apoderar de todas elas de uma forma sublime, magistral.

TOMADA me arrebatou sim. De uma forma diferente de Saga, Fôlego e de Entre Cabelos Olhos e Furacões.Tudo se deu de um jeito mais pacífico, mais ponderado, mas não menos intenso. Talvez possa definir como o amor. Aquele amor certeiro que chega após a paixão avassaladora, se apodera do seu lugar e nos acompanha por uma vida.

Texto: Cristiana Oliveira

__________________________________________________________________

Eu nunca fiquei tão ansiosa pelo lançamento de um disco, como fiquei pelo “Tomada”. E agora que já ouvi, a ansiedade é para ter o disco físico em mãos. Ver as fotos do encarte, a letra das músicas, os agradecimentos. Será emocionante. Assistir ao show será uma prova de resistência emocional. Não sei se vou conseguir parar de chorar.

Quando o single “Dias e Noites” foi liberado para audição, fiquei enlouquecida, não conseguia parar de ouvir. O ritmo, a letra. Tudo perfeito. Fui arrebatada.

Sabemos que “Tomada” pode ter vários significados. Eu imaginava algo mais enérgico que os trabalhos anteriores de Filipe, algo pra chocar a todos. Filipe diz que, pra ele é o ato de apropriação, ele tomar o que é dele. Acho que todos os significados se encaixam no “Tomada” de Filipe Catto. Ele se apropriou do que é dele e deu vida a um trabalho cheio de energia e densidade, que nos chocou positivamente.

Tomada foi lançado nas plataformas digitais no dia 08/09 de madrugada. A primeira audição do Tomada foi muito especial. Eu estava ao lado de amigos que amam Filipe Catto e o trabalho dele, tanto quanto eu. Emilly e Erick. Eles sabiam a importância daquele momento e entendiam a minha reação. Eu não conseguia raciocinar direito, não sabia se sentava, se deitava, se escrevia. Fui “tomada” de euforia. Emilly e Erick também tresloucaram com o Tomada. Passamos a madrugada tuitando com a hashtag #Tomada e #FilipeCatto. Assim, ajudamos a colocar o Tomada em segundo lugar nos Trending Topics Brasil.  Foi uma grande emoção fazer parte disso. E Filipe estava tuitando, acompanhando tudo e querendo saber nossa opinião sobre o Tomada.

Filipe nos trouxe um trabalho inédito e surpreendente. Até as músicas que ele já cantava ganharam novo arranjo, e ficaram ainda mais bonitas. Fui lindamente surpreendida com isso. O Tomada me arrebata só pela capa. A foto simples e linda, me chama. Aquele olhar, como se estivesse nos encarando, é muito atraente. O repertório é o meu caso de amor. Não consigo escolher uma música. Filipe canta sentimentos, coisas que eu diria, momentos que eu gostaria de viver, sentimentos que tenho vontade de revelar. São músicas que falam por si só, mas que, interpretadas por Filipe, esse artista singular e visceral, atingem a alma e fazem a emoção transbordar.

Estou muito orgulhosa de ver o trabalho de Filipe ser cada vez mais reconhecido e, de estar acompanhando tudo isso de perto. Tudo que é feito com amor prospera e dá bons frutos.

Parabéns Filipe Catto, Ricky Scaff, Alexandre Kassin e a todos os envolvidos na criação do Tomada! Inclusive aos autores e coautores das músicas gravadas e regravadas por Filipe!

Tomada de amor

Ouço suas canções

Músicas viscerais, que tocam a alma

A emoção transborda

Dos olhos e arrepia os pelos

Alimentada de amor estou.

Estou plugada no “Tomada”!

Texto: Francielle Flores

_________________________________________________________________

Minha primeira sensação ao ouvir “Tomada” foi de estranhamento, talvez por medo do abandono ao repertório anterior que tanto amo e sei de cór.

É inegável que “Tomada” tem a marca indelével de Filipe e que a escolha de “Dias & Noites” como single de lançamento foi acertadíssima, já dá para imaginar a galera se agitando e querendo dançar nos shows!

Ao ouvir pela segunda, terceira, quarta…enézima vez ( sim, porque fã que se preza dá canseira no replay! rs.) percebi que as canções se interrelacionam, se entrelaçam com se cirandassem. Uma faixa busca a outra de maneira fluída  como os rios buscam o mar, como estrofes de um mesmo poema.

Na minha opinião, “Tomada” é um disco para se sentir com a razão e para se pensar e refletir com o coração.

 “DIAS & NOITES” aguardando tua voz e disseste “PARTIU” e perguntei : É hoje? Tu respondeste “DEPOIS DE AMANHÔ  E de ansiedade minha alma inflama e clama por “AURIFLAMA”  e depois de tal momento só se ouvia “CANÇÃO & SILÊNCIO” bem profundo e “DO FUNDO DO CORAÇÃO” vive, pulsa, grita e se agita o nosso “AMOR MAIS QUE DISCRETO” e necessita verbalizar “UM MILHÃO DE NOVAS PALAVRAS”, te olhar bem nos olhos ser “ÍRIS & ARCO”, sem nó e sem laço, te abraçar e no teu ouvido sussurrar “PRA VOCÊ ME OUVIR” que sou teu pra sempre, Amor “ADORADOR”.

Texto: Angel Angélica Officinalis

__________________________________________________________________

Falar do tomada é meio que difícil, intenso, louco, sei lá!
Ele já chegou arrebentando com tudo, quebrou minhas pernas. Filipe escolheu músicas que de alguma forma todo mundo se identificou, eu então, nem comento.
A pessoa procura palavras pra descrever esse novo trabalho do Filipe e não encontra (eu nesse momento).
Da capa ao repertório, Filipe Catto foi, digamos que direto ao ponto, a capa da aquela sensação de que você esta realmente olhando pra ele, olhando nos olhos. As canções são de tocar e dançar! (Eu mesmo vivo rebolando com Dias e Noites). Quero viver agarrada com esse CD.    Enfim gente, o disco está disponível em tudo que é plataforma digital, vão lá escutem e fiquem loucos de amor feito eu.

Texto: Gabi Santos

__________________________________________________________________

Antes de começar a falar do Tomada, tenho que fazer uma confissão : diante do anúncio da parceria com Kassin, um certo desconforto tomou conta de mim . Adoro o trabalho que Kassin faz, já vi grandes parcerias, mas bateu aquele medinho dele “mexer” na essência do trabalho de Filipe. Me pareciam os dois muito opostos. Ledo engano . O que Kassin fez foi justamente deixar Filipe livre para trazer à tona o que ainda não tinha vindo nos outros trabalhos, o que ainda faltava ser mostrado .

Adoro ver quem se posiciona, nada de ficar em cima do muro . Filipe já se diferenciava da maioria, principalmente pela escolha do repertório, que sempre me encantou .

Segunda confissão: minhas amarras pessoais sempre me deixam com um pé atrás, quando se trata de música pop, talvez daí tenha vindo meu medo inicial de ver Kassin interferindo no trabalho de Filipe. E o que nós vimos, com o lançamento de Tomada?

Um disco pop, rock , e absolutamente delicioso de ouvir. Filipe está lá na sua essência, totalmente verdadeiro e, mais do que nunca, dono de suas convicções . Tudo o que eu queira, tudo que eu esperava de um novo trabalho, e ajudando a me libertar das minhas amarras pessoais. Grata por isso, também !

Quando foi anunciada a  escolha da música do Caetano, meu coração batucou loucamente . Uma música pouco conhecida, pouco executada, mas que toca a alma dos fãs de Caetano (que, entre outros milhares de motivos, eu amo e admiro pelas convicções, mesmo quando é criticado por elas, até quando eu mesma não concordo com elas) e Filipe trouxe uma delicadeza na sua interpretação, que me tocou mais ainda .

Agora, além das audições diárias, fica a expectativa e a ansiedade de ver tudo isso no palco, e logo em Curitiba…  Haja coração !

Texto: Joceli Franco

1 Comment

  1. 03:13h, finalmente depois de muito #HappyBDayFilipeCatto, consigo me concentrar pra ler com calma todos os depoimentos sobre o Tomada, e como é bom fazer, isso… Vou lendo sem olhar quem escreveu, e na maioria reconheço pelas palavras, maneira de escrever e emoção quem é o autor! Obrigada Filipe, obrigada Ricky, obrigada a cada um de vocês que fizeram e fazem minha vida mais bonita e colorida! 💞

    Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s