Filipe Catto em BH – 6 de setembro!

Foto de Klaudia Alvarez
Foto de Klaudia Alvarez

Dono de uma voz ímpar, o gaúcho de Lajeado, Filipe Catto, faz apresentação única ao lado do Coral Lírico e da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, no dia 6 de setembro, às 19h, no Grande Teatro do Palácio das Artes.

Pela primeira vez o contratenor, que além de intérprete é compositor, se apresenta em formato orquestral, interpretando músicas do seu repertório e de importantes nomes da MPB.

No programa desta edição da série Sinfônica Pop, que comemora os 45 anos da Fundação Clóvis Salgado, obras como Cartomante, de Ivan Lins e Vitor Martins, Garçom, de Reginaldo Rossi, Sal da Terra, de Ronaldo Bastos e Beto Guedes, além de Redoma e Canção e Silêncio, do próprio Filipe Catto. Frederico Natalino, Mauro Rodrigues, Nelson Ayres e Marcelo Ramos são responsáveis pela orquestração das composições.

Filipe Catto destaca-se por buscar aproximação com a música popular, mesmo tendo um potencial vocal único, perfeito para a música erudita. Sua voz, especialmente extensa, atinge graves de barítono e baixo, se quiser, e se assemelha a vozes femininas: contralto e mezzosoprano.

O convite para se apresentar em uma das mais queridas séries da FCS, dentro da programação de comemoração dos 45 anos da Instituição, foi reflexo do show que Filipe Catto fez no Inverno das Artes, em julho deste ano. Com ingressos esgotados algumas semanas antes do evento, Filipe Catto encantou a plateia com uma apresentação “voz e violão”.

PROGRAMA

3 cirandas , de Heitor Villa-Lobos
Arranjos de Nelson Ayres
Nesta Rua
A Condessa
Passa, Passa Gavião

Saga, de Filipe Catto
Arranjo de Marcelo Ramos

Crime Passional, de Filipe Catto
Arranjo de Mauro Rodrigues

Roupa do Corpo, de Filipe Catto
Arranjo de Mauro Rodrigues

Garçon, de Reginaldo Rossi
Arranjo de Frederico Natalino

Redoma, de Filipe Catto
Arranjo de Frederico Natalino

Rima Rica Frase Feita – (Nei Lisboa)/Puro Teatro – (Tite Curet Alonso)
Arranjo de Mauro Rodrigues

Dias e Noites, de Filipe Catto
Arranjo de Mauro Rodrigues

Adoração, de Filipe Catto
Arranjo de Marcelo Ramos

Canção e Silêncio, de Filipe Catto
Arranjo de Mauro Rodrigues

Sal da Terra, Ronaldo Bastos/Beto Guedes
Arranjo de Frederico Natalino

Cartomante, de Ivan Lins/Vitor Martins
Arranjo de Marcelo Ramos

Partiu, de Marina Lima
Arranjo de Mauro Rodrigues

Flor da Idade, de Chico Buarque
Arranjo de Mauro Rodrigues

FILIPE CATTO

Cantor, compositor, pianista e violinista brasileiro, Filipe Catto nasceu em Lajeado e foi criado em Porto Alegre. Começou a cantar ainda criança em festas com o seu pai, e na adolescência integrou algumas bandas com influência do rock. Sua carreira solo começou em 2006, quando Catto passou a se apresentar em bares e divulgar seu trabalho pela internet. Seu primeiro EP foi lançado em 2009 e, em 2011, o cantor lançou o seu primeiro álbum – Fôlego, seguido por Entre cabelos, olhos e furacões, em 2013.

ROBERTO TIBIRIÇÁ

Nascido em São Paulo (SP), recebeu orientações de Guiomar Novaes, Magda Tagliaferro, Dinorah de Carvalho, Nelson Freire e Gilberto Tinetti. Foi discípulo do maestro Eleazar de Carvalho, com quem trabalhou durante 18 anos depois de ter vencido o Concurso para Jovens Regentes da OSESP. Ocupou o cargo de Regente Assistente no Teatro Nacional de São Carlos (Lisboa/Portugal) e em 1994 tornou-se Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Sinfônica Brasileira. Entre 2000 e 2004, foi Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Petrobras Sinfônica e, entre 2005 e 2011, Diretor Artístico da Sinfônica Heliópolis, do Instituto Baccarelli (SP). Em 2010 assumiu a regência da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais onde permaneceu até 2013. Foi também Regente Titular e Diretor Artístico da Orquestra Sinfônica de Campinas (SP), da Orquestra Filarmônica de São Bernardo do Campo (SP) e da Orquestra Sinfônica do Sodre (Uruguai). Dentre os muitos prêmios e honrarias que recebeu, destacam-se o XIII e XIV Prêmio Carlos Gomes como Melhor Regente Sinfônico; a Ordem do Ipiranga (SP); a Grande Medalha Presidente Juscelino Kubitschek (MG) e o Prêmio APCA (Associação dos Críticos Musicais de São Paulo) como Melhor Regente. Ocupa a Cadeira Nº 5 da Academia Brasileira de Música.

ORQUESTRA SINFÔNICA DE MINAS GERAIS

Criada em 1976, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, corpo artístico gerido pela Fundação Clóvis Salgado, é considerada uma das mais ativas orquestras do país. Sempre aprimorando a excelência de sua performance, a OSMG cumpre o papel de difusora da música, diversificando sua atuação em óperas, balés, concertos e apresentações ao ar livre – tanto na capital quanto no interior de Minas Gerais. O corpo artístico da Fundação Clóvis Salgado executa um repertório que abrange todos os períodos da música sinfônica, do barroco ao contemporâneo, e grandes sucessos da música popular com a série Sinfônica Pop. Seus regentes titulares ao longo de sua história foram: Wolfgang Groth, Sérgio Magnani, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Aylton Escobar, Emilio de César, David Machado, Afrânio Lacerda, Holger Koldziej, Charles Roussin, Roberto Tibiriçá e Marcelo Ramos. Em 2013, foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Minas Gerais, pela Lei nº 20628.

LINCOLN ANDRADE

Regente titular do Coral Lírico de Minas Gerais, possui doutorado em Regência pela University of Kansas, EUA, mestrado pela University of Wyoming, EUA, onde também foi professor assistente e ministrou aulas de canto coral e regência coral. Foi diretor musical do grupo Invoquei o Vocal, maestro titular do Madrigal de Brasília e do Coral Brasília. Recebeu prêmios nos Estados Unidos e na Europa. Foi professor e diretor da Escola de Música de Brasília. Regeu concertos na Alemanha, Argentina, Chile, Espanha, Estados Unidos, França, Grécia, Hungria, Paraguai, Polônia, Portugal e Turquia. É o produtor musical, apresentador e entrevistador dos programas Conversa de Músico e Conversa de Músico Concertos, produzidos e veiculados pela TV Senado. Atualmente, é professor de regência e coordenador da Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFMG. É constantemente convidado para ministrar palestras sobre regência e canto coral em festivais no Brasil.

CORAL LÍRICO DE MINAS GERAIS

Criado em 1979, o Coral Lírico de Minas Gerais, corpo artístico da Fundação Clóvis Salgado, é um dos raros grupos corais que possui programação artística permanente e que interpreta um repertório diversificado, incluindo motetos, óperas, oratórios e concertos sinfônico-corais. Dentro das estratégias de difusão do canto lírico, o Coral Lírico desenvolve diversos projetos que incluem Concertos no Parque, Lírico na Cidade, Concertos Didáticos e participação nas temporadas de óperas realizadas pela Fundação Clóvis Salgado. O objetivo desse trabalho é fazer com que o público possa conhecer e fruir a música coral de qualidade, além de vivenciar o contato com os artistas.

EVENTO

Especial 45 anos FCS | Sinfônica Pop – OSMG convida Filipe Catto e CLMG

DATA

06 de Setembro, Domingo

HORÁRIO

19h

DURAÇÃO

1 hora

LOCAL

Grande Teatro do Palácio das Artes

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA

10 anos

PREÇO

R$ 20,00 (INTEIRA) | R$ 10,00 (MEIA)

INFORMAÇÕES PARA O PÚBLICO

(31) 3236-7400

Compre seu ingresso aqui

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s